domingo, 28 de maio de 2017

Montejunto_parte III

Batalha do Vimeiro em Esboço

Decidimos lançar um desafio aos membros do grupo Oeste Sketchers.
Com o objectivo de dinamizar o cartaz do encontro de 16 de Julho no Vimeiro e dar oportunidade a todos os sketchers interessados, criamos o desafio "Batalha do Vimeiro em Esboço"

Participantes:
Todos os que pertencem ao grupo Oeste Sketchers (Facebook) ou que sejam activos no Blog Oeste Sketchers.

Como participar:
Cada participante poderá apenas concorrer com dois desenhos.
Os desenhos devem ser colocados no facebook ou no blog Oeste Sketchers, na descrição deverá indicar o desafio, em conjunção ou alternativa, os desenhos deverão ser enviados para oestesketchers@gmail.com
Participação até 15 de Junho 2017

Suporte, Materiais e Técnicas:
Poderão optar pelas técnicas tradicionais dos desenhadores militares, carvão e aguarela,
ou explorar qualquer outra forma expressiva. Privilegia-se  um tipo de registo solto e resumido que possa ser facilmente integrado em cartaz.
  
Tema dos Esboços: 
Este evento militar está integrado no tema das Invasões Francesas.
Paisagem identificativa do campo de Batalha no Vimeiro ou paisagem representativa da zona Oeste.
Património construído local, no Vimeiro (ex: Igreja, Monumento da Batalha, etc)
Soldados, armas ou figuras da época da batalha (podem ser facilmente observados ou desenhados em qualquer museu dedicado às Invasões Francesas)
Sempre que possível, todos os desenhos devem ser feito "in loco", assim como o desenho de figuras com trajes da época através da visita a museus, poderão existir integrações de esboços com imagens de eventos anteriores.
  
Seleção de Desenhos

A seleção será feita pela equipa Oeste Sketchers, Ana Ramos, Pedro Alves, Bruno Vieira,
sendo também ponderado o nível de popularidade e discussão em cada desenho, se for partilhado no grupo.
Poderá existir mais de um desenho seleccionado,
estes desenhos serão integrados no cartaz de divulgação do Encontro Oeste Sketchers na encenação da Batalha do Vimeiro.

Algumas imagens alusivas ao evento para quem não conhece o tipo de batalha militar, cedidas gentilmente pelo Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro.


 




quarta-feira, 24 de maio de 2017

Montejunto_Parte II

A tarde foi dedicada à Real Fábrica do Gelo. Aqui ficam alguns pormenores.
 

Montejunto


O dia começou ventoso neste 11º Encontro dos Oeste Sketchers que para mim foi mais curto. Só estive da parte da manhã e mesmo assim senti que poderia ter feito bem mais porque a paisagem assim o pedia. Mas uma aguarela gigante de 56 x 42 como a de cima requer tempo e alguma paciência que ainda é a minha principal falha...

Já em jeito de despedida do encontro, fiz mais uma perspectiva desta bela ruina do Convento da Nossa Senhora das Neves que se encontra só no topo desta bela Serra que constitui um belo motivo para regressar...
Muito obrigado a todos os participantes e em especial aos  companheiros Bruno Vieira e Ana Ramos e ao André Baptista pela excelente iniciativa. Até ao dia 3 de Junho na Arruda!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

E estava um tempo fabuloso no Montejunto!

Da parte da manhã, que já ia um bocado adiantada, ficámos pelo cume, nas ruínas do convento.

O pic-nic, foi dos momentos deste encontro que mais apreciei porque permitiu de facto conversar e conviver, foi junto à Real Fábrica do Gelo. E não faltou quem fizesse a bela sesta a preceito...

Fábrica do Gelo

Oeste Sketchers em Montejunto

Mais uma vez, o grupo Oeste Sketchers juntou-se, desta vez em Montejunto.
O ambiente foi de descontracção, mesmo com a partida mais atribulada que alguma vez vi.
A serra soprou de manhã, até largou algumas gotas de chuva, mas foi uma bênção porque todo o dia esteve fabuloso.
A manhã passou a correr, tiramos a foto de grupo e avançamos para o parque de merendas, uma bela surpresa para quem não conhecia.
Seguiu-se um belo piquenique, onde se estenderam toalhas e aos poucos, depois de comer fomos rabiscando.
Alguns foram visitar a real fábrica do gelo, outros ficaram na preguiça, entre sesta, desenhos e conversa.
No fim, voltamos à partilha, descobrimos que tínhamos uma modelo, presente em grande parte dos desenhos.
O ambiente estava fabuloso, mas tudo o que é bom passa depressa.
Obrigado a todos os que apostaram neste belo dia e ao André Baptista, pela ideia inicial e por continuar a alimentar tão bem o espírito destes encontros. O formato de piquenique com desenhos parece-me muito bom de repetir.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ser Oeste Sketcher em Montejunto

A realidade proporciona uma certa ironia casuística, como se existisse apenas porque alguém a sonhou anos antes, mesmo que todos os elementos nela presentes estejam baralhados.
Confesso que nunca assisti a uma partida tão cheia de imprevistos, mas assim que o comboio se alinhou correu tudo bem.
Quando chegamos à serra, o vento empurrava-nos para os cantos abrigados do convento, alguns escolheram a sombra, outros o sol.

Entre ruínas e paisagem, eu escolhi o alinhamento de antenas no topo do relevo. ...e ao mesmo tempo, o canto abrigado e cheio de sol com a companhia da Rita.


Vou ter de um dia voltar ao convento para o desenhar, em redor existem algumas paisagens fabulosas, fascinam-me aqueles pinheiros talhados pelo vento, ao longo da encosta. 
A manhã passou a correr, tiramos a foto de grupo e avançamos para o parque de merendas, uma bela surpresa para quem não conhecia.
Tínhamos a árdua tarefa de fazer um piquenique, passar pelas brasas e conviver...

Era o lugar ideal para rabiscar pessoas, ainda tentei fazer um apanhado geral do espírito do grupo no piquenique mas distrai-me tanto com a conversa agradável, no fim, muitos já nem la estavam e eu ainda ia pintando algumas cores.


Como estava insatisfeito com o desenho anterior, onde não consegui apanhar todos os sketchers e a Rita no canto do bloco parecia um gremlin transformado, resolvi apanhar com linha toda aquela desarrumação de lápis e pincéis à volta dela, estava mesmo a divertir-se, descalça, de posição irrequieta, sentada ou deitada, a desenhar como se tivesse voltado aos tempos de criança, entre o sonho e a realidade.
Achei interessante, a Rita como "diamante em bruto" (segundo ela) vai pintando com manchas, descomplexada, evitando limites ou regras rígidas, deixa o desenho fluir a partir de uma realidade desfocada, vai definindo e deformando aos poucos, ao sabor do prazer que a atravessa pelo simples acto de desenhar.

Para ela, a linha é demasiado definitiva, segue um processo oposto à minha forma de pensar, onde é difícil desconectar do que academicamente me formatou, voltei ao papel procurando esse "desligar", mesmo mantendo a linha, são estes desenhos rápidos com pouco tempo para pensar que acabam quase sempre por me dar mais prazer. Obrigado Rita.


Foi um belo encontro, tenho a agradecer a todos, em especial, a todos os que fizeram a viagem de longe e ao André Baptista que continua a ser um elemento essencial no espírito do grupo. 



domingo, 21 de maio de 2017

11º Oeste Sketchers - Serra de Montejunto - Parte I

10h30 - depois de uma viagem atribulada, chegámos ao destino.
 
Fomos recebidos pelo vento fresquinho da Serra, mas aos poucos o sol foi espreitando.
A parte da manhã foi dedicada às  Ruínas do Convento Dominicano de Nossa Senhora das Neves.
 
 
Ao abrigo das ruínas do convento, desenhei as traseiras da Igreja de Nossa Senhora das Neves.
 
 
 
Onde há uma traseira, existe sempre uma frente - Fachada principal da Igreja.
 
Os desenhos que se seguem foram feitos no Parque da Serra, após um espetacular piquenique entre amigos.
 
O desenho superior foi feito na esplanada, à conversa com o meu "irmão" Filipe Oliveira. Matámos saudades dos tempos de universidade e da importância do desenho, durante e pós-formação.
 
 
O último desenho foi começado ao lado do Augusto. Ao nosso lado estava um grupo/família bem animado/a. Entre cerveja e bagaço, a festa estava rija. As cores são na sua maioria da autoria do Tomás - um desenho partilhado.
 
Esta foi a produção da manhã. À tarde, depois da sesta (quase), ainda se fizeram uns rabiscos. Uns ficaram na sesta, outros foram até à Real Fábrica do Gelo. Amanhã há mais....